Fique por dentro

Porto Seguro Consórcio Imóvel viabiliza uso do FGTS para construções

27/12/2012
   

Para atender aos consorciados que desejam utilizar os recursos do FGTS para comprar imóveis e construir, a Porto Seguro Consórcio Imóvel (www.portoseguro.com.br/consorcio) mantém parceria com a companhia hipotecária Cobansa, que auxilia os clientes nas etapas relativas a essa operação específica. Ao longo de 2012, os saques do fundo de garantia para a oferta de lances ou complemento da carta de crédito no consórcio imobiliário já somam mais de R$ 2,7 milhões, conforme números da ABAC (Associação Brasileira das Administradoras de Consórcio).

“Os recursos acumulados no FGTS são um importante complemento para concretizar a compra de imóveis, inclusive quando a modalidade escolhida para a aquisição é o consórcio”, comenta Willian Rachid Jr., superintendente de consórcio da Porto Seguro. “Por isso, atuamos em conjunto com agentes especializados nesse tipo de operação, de forma que o consorciado aproveite melhor essa vantagem”, completa.

Na parceria, a Cobansa atende aos consorciados de imóvel da Porto Seguro em todo o processo de análise e enquadramento do uso do FGTS para fins de construção, conforme regras estabelecidas pela Caixa Econômica Federal (CEF). As avaliações da Porto Seguro Consórcio Imóvel são compartilhadas com a companhia hipotecária, viabilizando a aceitação do terreno como garantia e as comprovações do andamento e conclusão das obras, também de acordo com as normas da CEF.

O atendimento está disponível para clientes Porto Seguro Consórcio Imóvel na Grande São Paulo (capital e região metropolitana) e cidades de Campinas, Jundiaí, Sorocaba, Atibaia, São José dos Campos, Santos, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Fortaleza e Salvador. Consorciados de outras localidades também podem ser atendidos, mediante consulta prévia à administradora. Vale destacar ainda que o cliente pode recorrer a outros agentes financeiros de sua preferência para viabilizar o saque do FGTS para fins de construção.

FGTS e consórcio imobiliário: outros usos
Ainda de acordo com números da ABAC, o total de recursos do FGTS utilizados em operações de consórcio imobiliário já somam mais de R$ 85 milhões em 2012. Além da finalidade de construção, o fundo de garantia é empregado para: oferta de lance ou complemento de crédito para a compra de imóveis prontos; amortização ou liquidação de saldo devedor; e ainda, para o pagamento de prestações do consórcio.

Porto Seguro Consórcio Imóvel
No consórcio imobiliário da Porto Seguro, os consorciados podem obter créditos entre R$ 50 mil e R$ 400 mil, com prazo de até 180 meses para contemplação. As parcelas são atualizadas uma vez por ano pelo INCC-FGV (Índice Nacional do Custo da Construção – Fundação Getúlio Vargas).

O Porto Seguro Consórcio Imóvel permite ao consorciado antecipar o pagamento de parcelas e quitar o consórcio quando quiser. O cliente também conta com isenção do resíduo gerado nos financiamentos tradicionais e assessoria jurídica, que auxilia o consorciado a escolher melhor, solucionar pendências e fechar o negócio.

Em todos os planos do consórcio de imóveis é possível utilizar o FGTS* (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) para ofertar lances, complementar a carta de crédito ou ainda, amortizar o saldo devedor: a empresa possui parceria com agentes financeiros que viabilizam o saque do Fundo em prazos e custos mais vantajosos.

Para facilitar a contemplação, a Companhia também oferece as seguintes opções de lance aos consorciados:

• Lance Embutido: permite o uso de até 30% do próprio crédito para a oferta de lance;
• Lance Diluído: ao ser contemplado por lance, o consorciado pode reduzir o valor das parcelas e pagá-las pelo mesmo prazo contratado;
• Lance Fixo: nessa opção, o cliente pode fazer um lance de 40% e participar de outro sorteio entre consorciados que ofertaram o mesmo percentual.